Quer saber mais?

Preencha o formulário que retornaremos em breve

Nós entramos em contato

Preencha o formulário que retornaremos em breve

Dr. Marcio Dantas de Menezes

Há mais de 30 anos cuidando da sua auto estima

 

Formado em 1983 pela Faculdade de Medicina de Taubaté (UNITAU)
Cirurgião Vascular desde de 1996 (Conselho Federal de Medicina)
Pós-graduado em Sexualidade Humana pela Universidade de São Paulo (USP)

Membro da International Society for Sexual Medicine (ISSM)
Membro da Sexual Medicine Society of North America (SMSNA)

 

Ler mais Contato

            

Dr Márcio Dantas

Parecer da Sociedade Brasileira de Urologia


  • Parecer SBU sobre procedimentos de

    aumento peniano
    A maioria dos homens que procura procedimento de aumento peniano é portadora de um pênis normal, sem anormalidades anatômicas. Trata-se de uma dismorfofobia na qual o paciente faz uma interpretação errônea das dimensões da sua genitália. Como o nível de ansiedade é alto, nestes casos, o paciente realmente “procura uma solução” e vai acreditar nos resultados apresentados pelo profissional, independentemente da idoneidade ou não dos resultados apresentados.

     

    A orientação ética e honesta é não operar estes pacientes, e sim tratar o transtorno psicológico/emocional. A proposta de aumento peniano como um procedimento cosmético do pênis normal é ainda considerada uma técnica investigacional e experimental. Várias técnicas de alongamento e/ou aumento da espessura peniana têm sido descritas, mas nenhuma se mostrou efetiva e segura, isto é, não existe medicina baseada em evidências nestes procedimentos.

     

    O índice de complicações (como fibrose peniana, disfunção erétil ou mesmo infecções graves) e insatisfações com estes procedimentos de aumento peniano é bastante alto (Alter G, 1997; Rosenteeins M, 1995; Ghanen H, 2007).

     

    O Conselho Federal de Medicina define como experimentais os procedimentos cirúrgicos de aumento peniano e neurotripsia (D.O.U.; 12 agosto de 1997. Seção 1, p. 17.338.). O Conselho Nacional de Saúde, através da Resolução 196/96, tem o mesmo pensamento e considera cirurgia experimental, que pode ser realizada apenas em estudos experimentais, com consentimento informado e sem ônus para o paciente. Os últimos consensos brasileiro e latino-americano de Medicina Sexual, assim como as publicações mais recentes, recomendam a não realização do procedimento de alongamento peniano, por não apresentar resultados satisfatórios e estar acompanhado de altos índices de complicação e insatisfação.

     

    A Sociedade Brasileira de Urologia, através do seu Departamento de Medicina Sexual e Reprodução, contraindica esta prática e reforça que não há estudos ou dados científicos que confiram credibilidade, eficácia ou segurança de qualquer técnica de aumento das dimensões penianas.
     
    Sociedade Brasileira de Urologia
    Departamento de Medicina Sexual e Reprodução
    março 08, 2019
    Dr. Giuliano Aita
    Dr. Eduardo Bertero
    Dr. Fernando Lorenzini
    Dr. Carlos Cairoli
    Dr. Carlos Da Ros

     

    Fonte: http://portaldaurologia.org.br/noticias/parecer-sobre-os-procedimentos-de-aumento-peniano/

Estudo de Casos

Tamanho do Pênis: Como medir o pênis

 

Antes de tudo, é preciso saber que existem diferentes modos de medição. Primeiramente, o pênis deve estar ereto ao máximo. Em medições clínicas, essa situação é difícil de atingir. Pode ser usadas drogas injetadas no pênis de modo a induzir a ereção, proporcionando resultados mais consistentes. Alguns médicos esticam o pênis flácido ao máximo possível - sem que haja desconforto - e toma a medida baseada na teoria que um pênis flácido completamente esticado é igual com o corpo em comprimento a um pênis ereto, com poucos milimetros de diferença.

 

Não é muito confiável acreditar em afirmações dos próprios pacientes sobre o tamanho do seu pênis, já que alguns exageram, são incapazes ou mesmo não dispostos a medirem o pênis corretamente. Isso sem falar que os conceitos de “grande”, “médio” ou “pequeno” varia de pessoa para pessoa, principalmente no caso em questão. Ou seja, o que é grande para um pode ser médio ou pequeno para outros.

 

O comprimento é medido com a pessoa em pé e com o pênis paralelo ao chão. A medida do comprimento é feita horizontalmente ao longo da região dorsal (de cima) do pênis desde a origem (base) até a ponta.

 

 

 

Últimos Vídeos

Vídeos informativos e educacionais. 

Hubspot: