Vasectomia: tire suas dúvidas e entenda como é realizado o procedimento
10 de dezembro de 2021

Vasectomia: tire suas dúvidas e entenda como é realizado o procedimento

Compartilhe

Vasectomia: Como é realizada?

 

A Vasectomia é um método contraceptivo confiável, porém, muitos homens ainda não optam pela cirurgia por terem medo. O procedimento, realizado por um médico urologista, é exclusivamente para aqueles que não desejam mais ter filhos e consiste na interrupção da circulação dos espermatozoides produzidos pelos testículos, o que impedirá a fecundação do óvulo e, consequentemente, a gravidez.

 

Como é feita a vasectomia?

 

A realização do procedimento envolve primeiro uma anestesia local, para só depois acontecer a retirada de um fragmento de cada um dos canais deferentes, que faz com que os espermatozóides não sejam liberados durante o ato sexual. A alta da cirurgia acontece no mesmo dia e o período de recuperação leva em torno de 10 dias, com repouso absoluto de um dia.

 

Posso confiar na cirurgia?

 

Sim, pois em apenas 3% dos casos o método não dá certo. A recomendação é que seja utilizado um método anticoncepcional por 3 meses, ou após as 10 primeiras relações, já que, apesar dos efeitos da vasectomia  serem imediatos, é normal que alguns espermatozóides continuem dentro dos canais.  Após esse período, é aconselhável fazer um exame de contagem de espermatozóides (espermograma) para conferir a eficácia e segurança da cirurgia.

 

Prazer e vida sexual após o procedimento

 

Uma das dúvidas mais comuns, e que faz muitos homens optarem por não escolher a vasectomia , é o medo da temida impotência sexual. Não há risco disto acontecer, pelo fato de não ser abordado o mecanismo hidráulico e hemodinâmico da ereção.

 

No geral, nada muda e o esperma continua sendo produzido, porém, o líquido ejaculatório não contém mais esse esperma. O que pode acontecer, principalmente nas primeiras relações sexuais pós-cirúrgia, é o aumento da ansiedade pela dor na região genital. Mas, na maior parte dos casos, a vasectomia  não afeta em nenhum ponto o prazer sexual ou a líbido do homem.

 

 

É possível reverter a vasectomia?

 

Em alguns casos o procedimento pode ser irreversível, por isso, mais uma vez é importante lembrar que a vasectomia  deve ser feita apenas quando o homem tem certeza que não deseja mais ter filhos. Além disso, a cirurgia de reversão é mais complicada e precisa ser realizada no hospital, com anestesia troncular e a utilização de material de microcirurgia.

 

Reversão de vasectomia: Vasovasostomia

 

Com o tempo, ao invés de produzir espermatozóides, o corpo do homem começa a produzir anticorpos que eliminam os espermatozoides. Então, mesmo que aconteça novamente a ligação dos canais deferentes, o homem pode não ser mais fértil. Outro ponto é que a taxa de sucesso da reversão leva em consideração o tempo em que o homem passou pelo procedimento, ou seja, quanto maior for o período, menor a chance de dar certo.

 

Após 45 dias da reversão, é preciso ser feito o exame de espermograma para saber a quantidade dos espermatozóides presentes no sêmen, seu formato e capacidade. Quando o procedimento dá certo, os espermatozóides voltam a estar presentes dentro de três meses após a cirurgia. Depois de 12 meses, tudo é normalizado por completo. E, caso a reversão da vasectomia  não seja bem-sucedida, ainda é possível optar pela realização da Fertilização In Vitro.

 

 

É importante saber que:

 

No Brasil, previsto no artigo 10 da lei nº 9.263, a realização da vasectomia  deve seguir condições obrigatórias para sua execução, sendo permitida apenas nas seguintes situações:

 

- Em homens e mulheres com capacidade civil plena e maiores de vinte e cinco anos de idade ou, pelo menos, com dois filhos vivos, desde que observado o prazo mínimo de sessenta dias entre a manifestação da vontade e o ato cirúrgico, período no qual será propiciado à pessoa interessada acesso a serviço de regulação da fecundidade, incluindo aconselhamento por equipe multidisciplinar, visando desencorajar a esterilização precoce;

- Risco à vida ou à saúde da mulher ou do futuro concepto, testemunhado em relatório escrito e assinado por dois médicos.

 

A vasectomia  é menos invasiva que a laqueadura das trompas, método contraceptivo realizado em mulheres, e pode ser realizada gratuitamente através do SUS. Para isso, é obrigatório ter idade superior a 25 anos ou, pelo menos, dois filhos.

 

É importante não esquecer que a vasectomia  não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis, como HIV, sífilis e HPV. Sendo assim, permanece sendo indispensável o uso da camisinha nas relações sexuais.

 

 

Fontes:
Biblioteca Virtual em Saúde - Ministério da Saúde

Hospital Sírio-Libanês